“Desvirtude” é o grande vencedor da mostra de curtas gaúchos em Gramado

Compartilhar

Dirigido por Gautier Lee, filme conquistou a principal categoria do Prêmio Assembleia Legislativa — Mostra Gaúcha de Curtas

Com quatro troféus, incluindo da categoria principal, o filme Desvirtude foi o grande vencedor do Prêmio Assembleia Legislativa — Mostra Gaúcha de Curtas da 49ª edição do Festival de Cinema de Gramado. Dirigido pela cineasta Gautier Lee, o curta foi premiado como melhor filme, melhor direção, melhor atriz (Evellyn Santos) e melhor montagem (Gabriel Borges) em cerimônia realizada na tarde deste sábado (21). 

A premiação foi conduzida pelos apresentadores Marla Martins e Roger Lerina direto de Gramado, com participação dos realizadores pela internet. No total, 23 curtas concorreram na mostra.

Desvirtude aborda o racismo ao contar a história de Kenia, uma jovem negra que estuda Jornalismo. Ao ser agredida durante uma atividade na universidade, ela passa a lidar com repercussões e retaliações de seu caso, com pessoas tentando pôr panos quentes e diminuir sua situação. 

— Eu nem sei o que dizer! Estou dividida entre chorar, rir, pensar e falar. Quero aproveitar esse espaço para agradecer a toda nossa equipe que pilhou fazer esse projeto sem nenhum centavo. Eu gastei um total de R$ 17 para comprar uma base para a nossa atriz. É um curta de R$ 17 — emocionou-se Gautier.

A diretora ainda lembrou que o prêmio vem em um momento muito triste para a equipe, pois o produtor Jéferson Silva recentemente passou por um episódio de racismo em um shopping, quando foi parado no banheiro e teve uma arma apontada. 

— É uma honra estar aqui, um baita privilégio poder fazer cinema nesse cenário que temos no Brasil, tanto político, econômico, social e sanitário. Não quero nunca esquecer disso e quero que isso deixe de ser um privilégio. Quero que fazer cinema seja algo fácil, bem remunerado que a gente não precise trabalhar em outras coisas pra poder pagar as nossas contas e viver com decência e conforto — ressaltou. 

Cena de “Desvirtude”

Outro destaque da premiação foi Eu Não Sou Um Robô, de Gabriela Lamas, que recebeu quatro prêmios: melhor roteiro, melhor fotografia, melhor direção de arte e melhor filme pelo júri da crítica. Na trama, uma jovem passa a questionar o que é real após falhar num teste para diferenciar humanos de robôs.

Além dos troféus, foram distribuídos R$ 48 mil (R$ 8 mil para o melhor filme e R$ 4 mil para as demais categorias). O melhor filme ganhou ainda o Prêmio Edina Fujii, no valor de R$ 10 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e instrumentos da empresa Naymovie, com validade de um ano.

Confira a lista de vencedores da Prêmio Assembleia Legislativa — Mostra Gaúcha de Curtas: 

  • Melhor FilmeDesvirtude, De Gautier Lee
  • Melhor Ator: Álvaro Rosacosta em Rufus
  • Melhor Atriz: Evellyn Santos em Desvirtude
  • Melhor Direção: Gautier Lee, por Desvirtude
  • Melhor Roteiro: Felipe Yurgel, Gabriela Lamas, Maurilio Almeida por Eu Não Sou Um Robô
  • Melhor Fotografia: Lívia Pasqual, por Eu Não Sou Um Robô
  • Melhor Montagem: Gabriel Borges, por Desvirtude
  • Melhor Direção de Arte: Gabriela Lamas, por Eu Não Sou Um Robô
  • Melhor Trilha Sonora: Renan Franzen, por Noite Macabra
  • Melhor Desenho de Som: Kiko Ferraz e Chrístian Vaisz, por Um Dia De Primavera
  • Melhor Produção Executiva: Álvaro Rosa Costa, Carmem Fernandes, Fernanda Kern, Laura Cohen, Lisiane Cohen e Maurício Borges de Medeiros, por Era Uma Vez Uma Princesa
  • Melhor Filme pelo Júri da Crítica: Eu Não Sou Um Robô, Gabriela Lamas
  • Menção HonrosaRota, de Mariani Ferreira

Gaúcha ZH


Compartilhar

Deixe um comentário